Casa construída pela família Frahm, por Emílio Sabin e seu genro Christian Frahm, professor e figura respeitada na localidade. Seu avô, também chamado Christian Frahm, imigrou da Alemanha para o Brasil para ser o professor no “Distrito do Rio do Testo” — como se chamava Pomerode, recém-colonizada e pertencente a Blumenau na época.

A casa foi construída em 1964. Apesar de não ter sido feita na técnica enxaimel, possui valor histórico e arquitetônico, pois foi construída em similaridade às casas que existem na região, com todos os volumes, distribuição de cômodos e estética muito parecida ao Enxaimel. O assoalho da casa é em madeira na parte principal da casa, e possui um grande sótão. Além de possuir um grande rancho, agregado a casa com uma pequena criação de bovinos no local.

Anteriormente no mesmo local havia uma casa Enxaimel, construída originalmente pelo ascendente Hermann Schade, filho de Friedrich Schade, imigrante vindo da Pomerânia, que adquiriu um lote do distrito fundado pelo Dr. Hermann Blumenau. A casa enxaimel passou para os descendentes da família até ser desmanchada para a construção da nova casa da família Frahm.

Um fato interessante foi o desmonte parcial da antiga casa Enxaimel por volta de 1950, cedida para tornar-se a casa da família Sabin, ainda preservada, e muito próxima dali. Mas além deste fato e da proximidade das casas Sabin e Frahm, as famílias também possuem muita ligação: uma curiosidade é o casamento que ocorreu entre as famílias, onde Amanda Frahm (nascida Sabin), irmã de Arno Sabin, casou-se com Christian Frahm. Arno Sabin, por sua vez, casou-se com Hildegard Sabin (nascida Frahm), que era irmã de Christian Frahm, ou seja, ambos eram irmãos-cunhados.

Tombamento municipal.

É uma residência, não aberta à visitação.